Como ler a sua receita de óculos de grau?

Como ler a sua receita de óculos de grau?

Segundo dados do Primeiro relatório mundial sobre visão publicado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em outubro de 2019, pelo menos 2,2 bilhões de pessoas no mundo têm algum tipo de deficiência na visão que precisa de cuidados médicos ou que poderia ser prevenida ou suavizada com receitas de óculos de grau.

Estes dados mundiais comprovam a importância de uma visita regular ao oftalmologista, medida que pode ajudar a prevenir o agravamento de doenças da visão ou ajudar a corrigir deficiências visuais impedindo que elas evoluam para quadros mais graves.

Em uma pesquisa realizada pelo Ibope, em 2020, por encomenda da Alcon em parceria com o Conselho Brasileiro de Oftalmologia, revelou-se que 34% dos brasileiros adultos nunca foi ao oftalmologista, e 66% dos entrevistados afirmou usar óculos comprados sem receita médica, por contra própria, para melhorar a condição da visão no dia a dia.

Publicado em 31 de março de 2021

Colaborou com este artigo: Dr Renan Oliveira (CRM-SC 24.929) – oftalmologista especialista em cirurgia refrativa e catarata no Hospital de Olhos Sadalla Amin Ghanem (Joinville, SC)

Índice

1. Nomenclaturas da receita de óculos de grau

2. Exemplos de receita de óculos de grau

3. Tempo de adaptação para nova receita de óculos de grau

4. Validade da receita de óculos de grau

5. Como escolher o melhor óculos e a melhor lente de acordo com a minha receita?

Neste artigo vamos esclarecer a importância da receita médica de óculos de grau para corrigir deficiências da visão como miopia, hipermetropia, astigmatismo e presbiopia (também conhecida como vista cansada).

Vamos começar entendendo as nomenclaturas usadas nas receitas de óculos de grau.

Nomenclaturas da receita de óculos de grau

Quem usa óculos sabe que a receita médica dos oftalmologistas pode ser um pouco complexa, uma vez que traz diversas siglas e numerações. Mas a sua leitura não é tão difícil quanto parece.

Primeiro é preciso entender as siglas OD e OE, que se referem a olho direito e olho esquerdo. 👁️ 

Outra indicação importante é se a correção é necessária para perto ou para longe. Quando a correção é para perto indica a Presbiopia (ou vista cansada) e muitas receitas podem trazer essa correção como Adição ou ADD.

Agora vamos para os outros dois componentes que indicam os índices refrativos ou dioptrias (também conhecidos como o grau de correção). 

Dioptrias esféricas ou cilíndricas

1. Esférico indica a potência da lente e quando vem com o grau positivo indica a hipermetropia, e quando atesta o grau negativo indica a miopia.

Siglas: Esf. Ou DE (Dioptria Esférica)

2. Cilíndrico indica se é necessária correção para astigmatismo e, normalmente, vem com grau negativo.

Siglas: Cil. Ou DC (Dioptria Cilíndrica)

Atenção: caso a receita tenha um grau positivo no cilíndrico é preciso que a ótica faça um cálculo de transposição na receita, para enviar o pedido para o laboratório. Mas isso é bem difícil de acontecer no Brasil, porque a grande maioria dos médicos está alinhada com a “orientação” dos laboratórios óticos que seguem sempre o valor negativo do astigmatismo.

Por fim, temos o Eixo, que acompanha a medida cilíndrica e determina a posição da lente na armação, por isso é marcado com números em graus.

Para entender melhor: a córnea é a estrutura transparente que compõe a parte anterior de nossos olhos, e tem a função de uma lente natural. Como toda lente, é a curvatura da córnea que determina o seu poder dióptrico (ou grau). O astigmatismo na córnea é quando há uma assimetria nesta curvatura, havendo diferença entre diferentes eixos da curvatura da córnea. Por isso o astigmatismo deve ser corrigido em um eixo determinado.

Veja mais sobre Grau cilíndrico aqui!

DNP ou DP

Duas siglas ainda podem aparecer na receita de óculos de grau:

1. DNP ou Distância Naso-pupilar: que indica a distância do meio do nariz, onde ficam apoiados os óculos, até a pupila.

2. DP ou DIP = Distância pupilar: que indica a distância entre as pupilas.

Essas distâncias devem ser revisadas na ótica, uma vez que são fundamentais para a produção dos óculos de maneira correta.

Lente de grau feita sob medida com a receita do oftalmologista

Exemplos de receita de óculos de grau

Agora vamos mostrar alguns exemplos de receitas para diferentes deficiências da visão para que fique mais fácil de descobrir o grau do óculos pela receita.

Receita de óculos para Presbiopia + Astigmatismo

Nessa receita de óculos de grau a pessoa apresenta +1,75 em ambos os olhos e -1,00 de astigmatismo no olho direito, no eixo de 95 graus. 

Como a dioptria indicada é para perto, isso caracteriza uma condição chamada presbiopia, mais conhecida como vista cansada, muito comum em pessoas acima dos 40 ou 45 anos, uma vez que a musculatura ocular perde força e/ou o cristalino perde flexibilidade e por isso deixa de fazer o foco correto para a leitura. 

Receita de óculos para Hipermetropia

Nesse caso o paciente apresenta dioptrias positivas para longe em ambos os olhos, caracterizando a hipermetropia. Veja que nessa receita o médico pede para que seja medida a DIP, ou distância pupilar, na ótica.

Receita de óculos para Miopia + Astigmatismo

Neste último exemplo o paciente apresenta valores negativos de -2,75 em ambos os olhos, e no olho esquerdo -0,75 de astigmatismo no eixo de 30 graus. O valor esférico negativo para longe indica a miopia. 

Veja que nessa receita o médico também pede que seja medida a DNP e ainda faz uma orientação muito interessante para que o paciente confira os óculos antes de usá-lo e alerta para um período de adaptação das lentes.

Tempo de adaptação para nova receita de óculos de grau

Como vimos na receita acima é importante lembrar que existe um período de adaptação para os óculos de grau. Isso porque o nosso cérebro precisa se acostumar com a correção das lentes (neuro adaptação). No início pode haver certo desconforto, leve tontura e até uma dificuldade de orientação quanto ao solo, principalmente em casos de astigmatismo e lentes multifocais.

No entanto, esse período é de aproximadamente 15-20 dias, e caso o desconforto permaneça depois deste prazo é preciso voltar ao médico ou à ótica e conferir as medidas dos óculos.

Validade da receita de óculos de grau

Outra dúvida comum quando o assunto é receita de óculos de grau é com relação a validade neste documento. 

A verdade é que o ideal é usar a sua receita logo após a consulta médica, mas como indica-se uma visita anual ao oftalmologista é possível dizer que a receita tem a validade de um ano.

Mas atenção, a manutenção dos óculos para manter a correção correta é fundamental para manter o conforto da visão, por isso quanto mais antiga for a receita médica, mais chances de que os óculos produzidos tenham que ser trocados em breve.

Como escolher o melhor óculos e a melhor lente de acordo com a minha receita?

Agora que você já entendeu como ler a sua receita de óculos de grau, separamos algumas dicas para escolher o melhor modelo de óculos e lente para a sua receita!

Presbiopia

Para a presbiopia ou vista cansada existem três tipos de óculos indicados. O primeiro é o de leitura, que só pode ser usado para distâncias curtas, aquele que vemos as pessoas usando na ponta do nariz, sabe? 

Um exemplo interessante é no restaurante, a pessoa precisa usar os óculos de leitura para ler o cardápio, mas precisa colocar na ponta do nariz ou pendurar no pescoço para enxergar o garçom.

Para não ter este problema, é possível usar uma lente multifocal, que faz a correção para uma distância curta, média e longa. Na porção médio superior da lente está a correção para longe, e em direção a parte inferior da lente há uma progressão gradual de dioptrias positivas que fazem a correção para distâncias intermediárias e curtas.

Outra opção são as lentes de área de trabalho, elas possuem correção para distâncias médias e curtas, perfeitas para quem trabalha o dia todo no computador, por exemplo.

Hipermetropia ou Miopia + Astigmatismo

Para pessoas com necessidade de baixa correção, até – 3 (miopia) ou + 3 (hipermetropia), e um pouco de astigmatismo, as lentes simples com índice de refração 1.50 podem ser usadas com tranquilidade. Essas lentes podem ser usadas até 6 graus esféricos, mas quanto maior o grau, mais grossa será a lente e esse peso pode causar desconforto para uma pessoa que usa óculos o dia todo.

Além disso, as lentes muito grossas causam uma distorção na aparência do olho, deixando ele esteticamente menor (na miopia) ou maior (na hipermetropia) o que também pode incomodar o usuário. O melhor exemplo neste caso são os famosos óculos fundo de garrafas, que atormentavam inúmeras crianças na época da escola.

tumblr_lmpaq7XqGq1qb34nxo1_500

Outro detalhe que poucas pessoas sabem é que quanto maior a armação, mais grossa será a lente para correção de miopia, por isso, caso escolha uma armação grande, recomenda-se escolher uma lente mais fina, com índice de refração 1.59, de policarbonato, por exemplo.

Se você ficou um pouco perdido com as informações sobre o índice de refração das lentes e espessuras, não se desespere, temos conteúdos completos sobre cada um deles em nosso blog. Vem ver!

Hipermetropia com Astigmatismo e Presbiopia

Neste exemplo de receita, temos um paciente com Hipermetropia, Astigmatismo e Presbiopia. Nesse caso, a lente mais recomendada é a Multifocal, uma vez que fará a correção dos erros refrativos para distâncias curta, média e longa. Como a dioptria apresentada na presbiopia é acima de 4 também recomenda-se uma lente com índice de refração maior do que 1.50.

Agora basta acessar nosso site de produtos e escolher a armação que mais combina com o seu estilo! 🤓